Namoro anterior

A amiga do meu namorado

2020.10.25 02:54 queenl1zzy A amiga do meu namorado

Bom, namoro faz 10 meses e meu namorado até então tem uma amiga. Eles são amigos deve ter uns 3 anos. Eu, como é o comum de qualquer relacionamento, senti ciúmes em saber da existência dessa amiga e ainda descobrir que ela considera ele melhor amigo e que ele costumava considerar ela melhor amiga também, mas após começar a namorar comigo ele diz que eu sou a única melhor amiga dele (até aí ok). Mas eu comecei a me incomodar bastante com ela quase sempre chamando ele pra jogar e o pouco tempo que tenho disponível pra fazer com ele acaba ele jogando com outras pessoas e algumas vezes com essa garota.
Recentemente ela vem chamando bastante ele pra jogar (vale ressaltar que ela namora também), eu fico chateada pq ela tem o namorado dela e o tempo que eu tenho pra ficar com o meu ela acaba tirando isso de mim. Anteontem era véspera do nosso aniversário de namoro e ela chamou ele pra jogar e ele aceitou ir jogar dps de ter dormido o dia inteiro e eu achei que ele iria fazer algo comigo até dar meia noite e ser o nosso dia. Eu acabei indo perguntar a ele quando iriamos pode ficar juntos e ela ouviu tudo o que ele tava me respondendo pq estava em ligação com ele enquanto jogavam. Dps de terem acabado de jogar ela mandou mensagem pra ele dizendo que preferia se afastar pq não iria passar por cima do nosso relacionamento. Mas ele falou que ia ver se eu me tocava com tudo isso e mudava, então ficou aberto sobre isso de pararem de se falar ou não.
Porém, ele me disse que ela provavelmente não iria mais falar com ele, e eu espero que aconteça isso pq acredito que é melhor assim. Ele me contou que ela não ajudou ele quando ele estava em um relacionamento conturbado, só diminuiu o que ele sentia e fez ele se sentir um idiota por ir buscar ajuda. E isso foi como se fosse uma resposta pra mim pro sentimento inexplicável que eu tinha sobre ela. Ele tem algumas outras amigas que pedem ajuda na hora de jogar e etc, mas não me incomodava tanto quanto essa me incomoda. Enfim, ele me contou sobre isso, de que ela não o ajudou quando precisou e que só chamou ele de trouxa, que ele era um idiota por deixar ela (a ex dele) fazer isso com ele). Resumindo, a amizade deles foi algo que ele ajudava ela quando ela precisava mas ela não ajudou quando ele precisou. Então ele só jogava com ela pra se distrair e não compartilhava de problemas pessoais já que sabia que ela iria ridicularizar a situação. E eu acredito nele, pois ele já me contou sobre o relacionamento anterior, só gostaria que ele tivesse dito sobre isso antes pra me tranquilizar, mas ele não gosta de tocar muito nesse assunto pq faz mal e eu entendo totalmente.
Eu tô pensando nisso até agora, e queria um comentário de alguém de fora disso, se isso seria algum sexto sentido por minha parte de "sentir" que tinha algo de errado com essa amizade e que a garota não era tão boa quanto parecia ser ou é só imaturidade da minha parte em achar que é melhor que ela se afaste mesmo já que não foi uma amizade que agregou na vida dele e só o fez afundar no momento que ele precisava de apoio dos amigos e também de certa forma tá atrapalhando nosso relacionamento. Por favor, quero opiniões de alguém sobre isso. Desculpa pelo textão e obrigada por quem leu até aqui!
submitted by queenl1zzy to relacionamentos [link] [comments]


2020.10.24 13:44 mkmkm2020 Estraguei tudo?

Meu primeiro post aqui, li alguns desabafos anteriores e gostaria de deixar o meu. Sou paulista, aos 19 anos entrei para um curso de engenharia em uma faculdade federal em outro estado, eu sempre quis engenharia e o fato de conhecer virtualmente uma garota desta região me influenciou a ir para esse novo estado. Os quatros primeiros anos foram incríveis, eu terminei as disciplinas sem muitas dificuldades e minha vida com ela era quase perfeita, nós moravámos juntos até. No meu último ano de faculdade um professor me indicou a uma vaga de estágio na Alemanha de um ano, algo que eu nunca imaginei , pois não falava nada de alemão e meu inglês era bem ruim e tive pouco tempo para me organizar mas o que era claro era que eu não queria terminar o relacionamento e ela também não, nós já tivemos a experiência de namoro a distância quando ainda morava em são paulo então achei q esse não seria um grande problema, mais foi. Minha adaptação na Alemanha foi muito dificil, acho que até hoje não me adaptei, mesmo no trabalho utilizando o inglês como língua principal. Após algum tempo aqui na Alemanha ela passou por uma situação complicada no Brasil, um parente próximo teve uma doença grave e logo após veio a pandemia, percebi ela distante mas eu também estava cheio de problemas e achei que era apenas coisa de momento, ela decidiu terminar a relação por mensagem e isso destruiu toda a estabilidade mental que eu tinha, um relacionamento de mais de 7 anos acabado por msg. Além do fato dela não dar a minima quando conversamos depois. Demorei semanas até voltar a minha rotina de trabalho mas até hoje não me recuperei, ontem tive uma conversa com meu supervisor aqui da Alemanha a respeito de uma avaliação para o estágio que precisava para me formar no Brasil e ele disse que tinha que ter um tempo para pensar porque devido ao problema da língua o estágio foi de certa forma comprometido, algumas tarefas eu demorava demais a fazer ou não entendia bem o que tinha que ser feito, ou seja , eu fui um m... como funcionário e isso caiu como uma bomba para mim. Estou voltando para o Brasil deixando uma péssima impressão de trabalho e sem perspectivas de futuro voltando a morar com meus pais. Será que foi um erro ter saído do Brasil? Obrigado por me ouvirem, eu só precisava desabafar, apesar de conhecer muitos brasileiros aqui na alemanha não tinha com quem desabafar de verdade.
submitted by mkmkm2020 to desabafos [link] [comments]


2020.10.24 13:28 mkelvin20 Eu estraguei tudo?

Meu primeiro post aqui, li alguns desabafos anteriores e gostaria de deixar o meu. Sou paulista, aos 19 anos entrei para um curso de engenharia em uma faculdade federal em outro estado, eu sempre quis engenharia e o fato de conhecer virtualmente uma garota desta região me influenciou a ir para esse novo estado. Os quatros primeiros anos foram incríveis, eu terminei as disciplinas sem muitas dificuldades e minha vida com ela era quase perfeita, nós moravámos juntos até. No meu último ano de faculdade um professor me indicou a uma vaga de estágio na Alemanha de um ano, algo que eu nunca imaginei , pois não falava nada de alemão e meu inglês era bem ruim e tive pouco tempo para me organizar mas o que era claro era que eu não queria terminar o relacionamento e ela também não, nós já tivemos a experiência de namoro a distância quando ainda morava em são paulo então achei q esse não seria um grande problema, mais foi. Minha adaptação na Alemanha foi muito dificil, acho que até hoje não me adaptei, mesmo no trabalho utilizando o inglês como língua principal. Após algum tempo aqui na Alemanha ela passou por uma situação complicada no Brasil, um parente próximo teve uma doença grave e logo após veio a pandemia, percebi ela distante mas eu também estava cheio de problemas e achei que era apenas coisa de momento, ela decidiu terminar a relação por mensagem e isso destruiu toda a estabilidade mental que eu tinha, um relacionamento de mais de 7 anos acabado por msg. Além do fato dela não dar a minima quando conversamos depois. Demorei semanas até voltar a minha rotina de trabalho mas até hoje não me recuperei, ontem tive uma conversa com meu supervisor aqui da Alemanha a respeito de uma avaliação para o estágio que precisava para me formar no Brasil e ele disse que tinha que ter um tempo para pensar porque devido ao problema da língua o estágio foi de certa forma comprometido, algumas tarefas eu demorava demais a fazer ou não entendia bem o que tinha que ser feito, ou seja , eu fui um m... como funcionário e isso caiu como uma bomba para mim. Estou voltando para o Brasil deixando uma péssima impressão de trabalho e sem perspectivas de futuro voltando a morar com meus pais. Será que foi um erro ter saído do Brasil? Obrigado por me ouvirem, eu só precisava desabafar, apesar de conhecer muitos brasileiros aqui na alemanha não tinha com quem desabafar de verdade.
submitted by mkelvin20 to desabafos [link] [comments]


2020.10.22 00:17 Living-Computer-3945 O namoro está me deixando desmotivado e triste

Comecei a namorar uma garota há cerca de dois meses, as coisas vão bem com ela quando estamos juntos, mas algumas coisas estão me incomodando. Primeiramente um pouco que me afastei dos meus projetos pessoais "auxiliares", como hobbies, planejamentos futuros, isso não foi uma opção, eu simplesmente perdi a motivação, não sei se é por causa do namoro que meu deu doses de satisfação que eu buscava nessas atividades ou algum outro fator. Outra coisa ruim é que a maioria dos meus amigos que tenho pra tomar uma cerveja e ficar falando da vida são mulheres, seja amigas ou relacionamentos anteriores que após um tempo acabaram virando amizade e eu não me sinto a vontade para encontrar com essas pessoas estando num relacionamento, mesmo que eu não vá trair, parece sempre que estou fazendo algo errado, eu não sei se ela aceitaria e acho que eu ficaria meio de cara se o contrário acontecesse, então fica meio fora de cogitação. Eu não tenho amigos aqui, tenho dificulde de fazer amigo homem e não sou nativo daqui embora já more há algum tempo na cidade, também não tenho familia aqui. Então tenho levado uma vida um tanto solitária esses meses, dependendo só desse relacionamento, que pra mim não tem me dado a atenção que eu carentão to precisando e eu não posso cobrar muito pois é algo recente e eu não sou de ficar em cima pedindo atenção. Algo assim aconteceu também no relacionamento anterior, de alguma forma parece que me sinto em um deserto e tudo some de volta de mim quando estou num relacionamento, mesmo que os momentos a dois sejam maravilhosos e mesmo quando recebo a atenção que eu espero como nesse anterior que eu tinha 100% de atenção. Acho que é até perigoso pra mim casar pois talvez eu fique só em razão da pessoa. Então to meio na merda e só queria desabafar, as vezes dá vontade de chutar o balde e sair pra flertar com outras pessoas pois me sinto meio carente mesmo, sozinho e inseguro por receber doses controladas de atenção, Talvez seja essa a solução e desencanar de esperar de algo que provavelmente não vai levar a lugar nenhum.
submitted by Living-Computer-3945 to desabafos [link] [comments]


2020.10.14 04:58 limajhonny69 Estou entrando em colapso.

Aos 12 anos de idade, fui estuprado. Repetidamente, durante uns 3 meses. Por conta do trauma, perdi a maior parte das memórias dos 12 anos anteriores a qnd isso aconteceu. As memórias que restaram foram as mais profundas: meu pai espancando minha mãe na minha frente. Diversas vezes. Batendo nela com uma corda, enquanto eu via sem poder fazer nada ela no chão sem poder se defender, enquanto se debatia, ou o sangue escorrendo do braço dela após uma briga, ou ele quebrando todos os objetos de vidro da casa de propósito, ou ele pegando todo o dinheiro que tínhamos pra gastar com bebidas alcoólicas enquanto passava a semana inteira fora de casa.... São tantas coisas... E nunca tínhamos dinheiro sobrando, nunca tive dinheiro pra terapia ou algo do tipo.
Depois que o estupro aconteceu, me isolei de todos, literalmente. Desde o estupro eu ficava no meu quarto, saindo apenas para a escola. Não tinha amigos, não visitava ninguém, não ia para o supermercado. 95% das 24 horas do dia eram dentro do quarto sozinho. Foi quando ocorreu minha primeira tentativa de suicídio.
As coisas mudaram quando entrei pra faculdade, pois comecei a sair mais, passando o dia inteiro fora nas aulas em outra cidade e, após 2 anos, comecei a sair com uns amigos. Porém, no ano passado, todas as memórias do estupro começaram a me afetar muito intensamente. Começou quando eu estava voltando para casa da faculdade, tive um ataque de ansiedade na rua como nunca tinha sofrido antes. Desde então as coisas só pioraram, incluindo outra tentativa de suicídio. Sofro de ansiedade todos os dias. Passo noites acordado, com insônia. Tenho pesadelos muito frequentemente. Há dias que não consigo levantar da cama, depressivo. Tenho um namoro a um ano, e muitas vezes eu e minha namorada não conseguimos fazer sexo. Apesar de sentir atração por ela, não consigo manter uma ereção pelas memórias do estupro. As vezes não consigo nem mostrar meu corpo a ela. Estou indo para o último semestre da faculdade. Não sei se vou conseguir viver até o fim. A pressão está aumentando, e minha ansiedade também. Falta apenas um estágio, e poucas disciplinas, mas eu sinto minha vita toda se esvaindo...
Não sei o que fazer. Não posso contar com ninguém, não sei se vou conseguir, e nem sei se quero. Só quero que tudo acabe, todos os traumas, os ataques, as memórias, essa ânsia de vômito que sinto sempre que lembro de tudo isso...
submitted by limajhonny69 to desabafos [link] [comments]


2020.09.26 13:05 redof089 Será que me podem ajudar

Vou contar a minha história dúvida, eu conheci uma menina, aconteceu o normal, ela é evangélica. Aconteceram uns problemas, ambos tivemos culpa das coisas. Tudo bem, eu trabalho 12 semanas fora e vou 3 de férias. Aconteceu o COVID, ela é mto trabalhadora e perdeu os 2 empregos, mesmo só sendo minha amiga eu ajudei mto ela. Mesmo depois de tudo ter terminado ficamos mto amigos conversamos todos os dias durante horas, ela começou a namorar, me contou (coisas que acontecem, dói mas tudo bem). Mas ainda assim continuamos a falar a ir almoçar jantar em amigos e com amigas delas que me foi apresentando, dou-me bem com todas as amigas dela, com a mãe tb.
Mas o namorado dela não deixa/proibiu ela falar comigo (ela disse que ia fazer isso, mas como somos mto especiais um para o outro falamos na mesma), basicamente é isso, falávamos normalmente nos dias que ele não estava pq tb n é da terra dela, mas sempre tive respeito pela relação n fiz nada ou disse alguma coisa, errada ou disse mal dele, tb n o conheço pessoalmente.
Ela agora foi de viagem, e um cara que é como um irmão para mim, perguntou quem era rapariga que eu estava a sair para minha irmã (não contei ao meu amigo que já n estava a sair com ela, mas nunca lhe disse o nome… aliás nunca fui mto de falar de contar, pq na religião dela existem alguma regras.. só minha irmã e 2 amigos meus sabiam, ela pediu por causa do pai que é pastor). Como nunca tinha falado assim de nenhuma mulher com ele, ele ficou curioso e foi perguntar a uma conhecida dele (que por curiosidade é a melhor amiga da tal mulher que eu conheci e é minha amiga tb), mas mulheres e homens igual partilham… mandou para ela, ela ficou um pouco chateada mas passou. Mas depois foi ver o instagram do meu amigo aí percebeu que ele conhece o namorado dela (nem eu sabia), e aí me mandou um áudio a dizer para n lhe mandar mais msg’s pq s o namorado descobrir vai ficar mto chateado, deve ser pq n fez o que ele mandou. Que me vai pagar o que me deve (n m importo com dinheiro), mas sei que ela n tem mto dinheiro e mal trabalha ag, aí n vou ser capaz de andar a cobrar...mas isso n me importar.. só n quero perder a amizade dela..
Eu já expliquei que não disse nada ao meu amigo, que mesmo gostando dela o que mais quero é que ela seja feliz e n faria nada para estragar o namoro dela. Pq n ganho nada com isso, pq só vou perder a amizade dela e a deixar triste. Eu fiz mto por esta pessoa, mais que marido faz por mulher e mulher faz pelo marido. Ela fez um cirurgia no dia anterior a me dizer q não quer que lhe envie mais msg’s. Magoa mto durante 9 meses falávamos todos os dias, gostava mto de saber se ela está a recuperar bem…. Mas n sei se devo mandar msg pq ela disse até que me poderia bloquear… e eu sofro de ansiedade, já sofri de depressão (quem passou por isto sabe q nunca realmente passa). Ainda no meio disto tudo “cortei” relações com os meus pais. Então as coisas não estão nada fáceis, só me passam pensamentos negativos na cabeça. Não sei o que fazer.
Estou muito triste, nervoso, ansioso com ataques de pánico…e n queria deixar de falar com a minha amiga nem com a minha família. Alguém já passou por algo assim?

Editi 2: Tentei resolver tudo com toda gente, com minha família só piorou, mas agora tenho a mãe da minha amiga a me pedir ajuda para procurar um apartamento para a filha (ela n sabe que a filha me disse de não querer que eu envie mais msgs para ela), eu não consigo não ajudar, mas penso que vou ajudar e dps vou dar o fora...
submitted by redof089 to desabafos [link] [comments]


2020.09.24 16:34 roody_mirys Tenho HPV.

Peguei HPV no meu único namoro. No início nasceu uma bolinha, como um pelo encravado, na base do meu pau, continuei me depilando com gilete e aumentaram as bolinhas, até eu perceber que aquilo não estava certo.
Nunca tive uma vida sexual bem desenvolvida, fui começar a transar só depois dos 19 e iniciando as relações com prostitutas, fiquei com poucas garotas "civis", acredito que umas 7 que não eram profissionais do sexo. E muitas, muitas prostitutas, mesmo. A maioria das relações foram com proteção, mas confesso que fiquei com umas três prostitutas sem camisinha, nunca contraí nenhuma DST dessas relações, apenas com a minha primeira namorada, com quem me acostumei a foder no pelo. Agora acho complicado de usar camisinha, não sei se consigo voltar a usar, pois sempre demoro pra gozar.
O principal problema da minha vida sexual deve ser resultado de um estupro ainda na infância, a minha família também é muito religiosa, então tinha aquele papo de não ficar com qualquer pessoa e buscar uma relação séria, além dos problemas de grana. Não dá pra namorar sem ter dinheiro, né? E éramos uns fodidos, na parte de grana, na infância e adolescência.
Em uma conversa com essa minha ex, logo que começamos a namorar, conversamos sobre DST e sobre nossas vidas sexuais anteriores, contei tudo pra ela, e ela me falou do HPV, disse que foi curada. Na verdade o HPV pode ser tratado, removendo as lesões, mas provavelmente deve ter continuado na pele dela, sem ser detectado, a garota deve ter desenvolvido resistência aos poucos, não criando novas lesões. Eu me fodi, mais uma vez, lembro que logo no começo eu pensei em tomar a vacina, mas depois esqueci do caso. O HPV também pode surgir entre 2 meses até 20 anos, então pode ser que nem tenha contraído dela, mas isso já não importa.
Faz pouco mais de 9 meses que estou tentando tratar isso, segundo a internet, a maioria dos casos são resolvido em média até 24 meses. Isso é uma merda, eu tenho que queimar o meu pau com um produto químico, para reduzir as verrugas e pros meus anticorpos terem chance de combater o vírus. O medicamento que melhor funcionou, por hora, foi a podofilotoxina. Ainda quero testar o imiquimod. A maioria dos médicos me parece despreparada, só querem queimar esses troços com ácido tricloroacético, mesmo eu explicando que esse produto mais me causou cicatrizes e ainda espalhou mais o vírus do que trouxe bons resultados. Eles nem se quer apresentaram o imiquimod ou a podofilotoxina como opções de tratamento, só achei isso pesquisando na internet. Só espero que esse trambolho não vire um câncer.
Em quanto isso, me reservo na solidão, parei de transar assim que comecei o tratamento, não confio em camisinhas porque elas não cobrem toda a área da lesão, pois é na base do pau, não quero correr o risco de encontrar uma pessoa legal, de quem eu goste e acabar passando isso pra ela. O foda é ter que arrumar desculpas pra não transar, sou mais ou menos bonito e chamo a atenção das mulheres, há bastante assédio por parte delas, também estou bem empregado, então não há mais impedimentos na parte financeira e a minha confiança melhorou muito, superando vários aspectos do trauma do estupro. As coisas se acertaram, mas agora me aparece isso. Devo ter feito muita coisa errada na sexualidade da vida passada, esse troço só pode ser carma.
Moro em uma cidade pequena, menos de 5 mil habitantes, me mudei faz um ano, acho que estou ficando com fama de ser gay, por ter que dispensar as mulheres.
submitted by roody_mirys to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 02:56 fcost9 Há um ano atrás tudo era diferente.

Já parou para pensar como tudo muda de um ano para o outro?
Comigo não foi diferente, lembro exatamente de tudo do ano anterior. Estava vivendo um dos melhores anos da minha vida.
Estava namorando com a mulher que eu nunca senti tamanha paixão parecida, daquelas que você chora de felicidade e sem explicação, aquele relacionamento que você sentia tudo diferente ao estar com a pessoa, e que com o seu abraço você literalmente se desconectava e ia para longe. O relacionamento que todo cara gostaria de ter, literalmente assim como o Chorão do CBjr descreveu a mulher na letra de 'Ela vai voltar'.
Além do meu namoro, da família que pude conhecer por parte da minha ex, que por sinal todos me colheram super bem, e fiz deles a minha família também. Pois eu passava um final de semana inteiro com as suas presenças.
Eu tinha também um grupo de amigos com um projeto entre nós muito legal, todos eramos bem unidos. Planejávamos o futuro como crianças na espera do coelho da páscoa ou do papai noel, todos ansiosos por cada passo que poderíamos dar.
Por fora tudo estava fluindo da melhor maneira de todos os tempos, mas por dentro da minha cabeça uma guerra sem fim acontecia. Uma mistura de sentimentos sem respostas, atitudes sem motivos, coisas que eu fazia que após de muito tempo eu me perguntei 'por que eu tive essa atitude?' 'por que eu fiz tudo da maneira mais difícil?' 'por que eu não falei a verdade sobre o que eu fiz antes e preferi mentir?' 'por que eu me confortava com uma atitude que não correspondia com o que realmente aconteceu?'
E de um ano para cá sem procurar ajuda eu perdi tudo e estou recomeçando do zero, como se eu chegasse em uma cidade nova e não conhecesse ninguém ao meu redor.
Esse post é tanto um desabafo quanto um toque para quem esteja passando pelo mesmo problema, problema no qual você faz tal coisa e nem sabe porque fez aquilo. Por que você preferiu mentir do que dizer a verdade.
Portanto, por mais difícil que seja para você, quanto foi para mim acreditar que algo de errado esteja acontecendo, pare e pense, e não deixe para procurar ajuda depois, depois de perder tudo. Procure ajuda psicológica, se cuide, valorize-se e também valorize quem está ao seu redor. Ame, mas também se ame, se cuide e não cometam o mesmo erro que eu tive por teimosia minha ao achar que não era nada.
Não digam não ou mintam caso esteja tudo bem, pois no fim não está. E principalmente não recusem conselhos de quem sabe o que está acontecendo.
Sejam felizes e acima de tudo sejam psicologicamente saudáveis.
submitted by fcost9 to desabafos [link] [comments]


2020.08.29 18:51 eixopioxii Minha namorada tem me irritado demais

Desde antes do namoro estar firme ela já se mostrava não ter compromisso, sempre se atrasa e mostra desdém se eu estou preocupado em me atrasar. Hoje tínhamos uma partida de RPG que eu mestro agendada, era pra ser todo sábado e eu preparei um monte de coisa pra partida, perdi tempo estudando sobre o que ia acontecer, qdo perguntei no grupo de wpp da campanha se todos podiam jogar hoje ela foi a única que não respondeu, fui perguntar pra ela e então ela simplesmente disse q não sabia q era hoje (já tínhamos discutido sobre ser todo sábado e ela concordou) e tem coisa de faculdade pra ler e não fazia diferença ela não participar, mas eu estudei e preparei coisas pra ela tbm.
Isso me irritou como várias vezes ela me irritou antes, n quero terminar mas tbm n quero viver assim, eu tento ser gentil mas ela testa minha paciência e joga as relações ruins anteriores na minha cara.
submitted by eixopioxii to desabafos [link] [comments]


2020.08.27 21:34 Ultimecia- Desabafo sobre pensamentos ruins que me atormentam (+18)

Ola pessoal, depois de muito pensar, e me perguntar se deveria fazer esse texto, venho aqui pra desabafar um pouco, pois não tenho um ciclo social muito grande pra o qual eu poderia contar essas coisas, e as poucas pessoas que eu poderia contar, Não seriam diretas e sinceras. Como o texto também é bem constrangedor, acredito que um leve anonimato deve me ajudar a se expressar melhor.
Marquei o texto como +18 porque usarei palavras bem explícitas aqui para melhor entendimento, porém, ciente das diretrizes da comunidade, caso o texto seja ofensivo ou afete alguém menor de idade, gostaria que fosse removido o mais rápido possível, me desculpem se acabar sendo ofensivo ou algo do tipo, espero não ultrapassar nenhum limite aqui. Mas vamos lá.
A 3 anos atrás eu conheci uma garota do meu antigo emprego (tenho 23 anos, isso não fere meu anonimato). Essa garota era perfeita e muito fofinha, tinhamos a mesma idade e nos demos super bem, estávamos solteiros, e depois de 6 meses nos conhecendo começamos a namorar. Namoramos por uns 2 anos, e nesse tempo aproveitamos muito a companhia um do outro, foi tudo perfeito, sem brigas e sem desentendimento, até que começamos a nos conhecer de mais. Sempre fui um cara reservado, antes dela só namorei uma pessoa, por 3 anos, minha única experiência sexual foi com essa pessoa, e após o termino nunca me relacionei como mais ngm, porém, essa garota que conheci no meu trabalho (vou chama-la de Yomawa, nem sei o pq :v) ja havia tido muitos outros caras no passado. Conversando com ela, descobri que fui o primeiro namorado dela, porém, ela ja havia ficado e tido aventuras adultas com mais de 15 caras no total, alguns em festas, faculdade, e todo o resto, com alguns mais de 5 vezes, ja havia feito menage e outros desejos sexuais que realizou por curiosidade. Confesso que me surpreendi, uma garota tão fofinha e delicada ja ter passado por isso me abalou um pouco, e depois que eu fiquei sabendo dessas coisas, nosso namoro desandou. Comecei a criar uma espécie de paranóia na cabeça, de nunca ter dado um prazer tão bom pra ela em nossas relações na cama. Eu tinha alguns fetiches e curiosidades, e ela, ja havia realizado todos com os caras anteriores. Com o tempo essa paranóia de me sentir insuficiente foi tomando conta de mim, até que cometi o erro (ou não) de perguntar se eu ja havia sido o melhor com ela na cama. Ela disse que não, disse que avalia certos pontos nas relações, como preliminar, oral, beijo, penetração, vibe e etcs. E que desses pontos, eu tinha sido o melhor em preliminar e sexo oral, maaaaas, um dos piores em penetração, disse que ja tinha se relacionado com outros caras que proporcionaram um prazer enorme pra ela, e que achava difícil eu superar. Uma coisa que amo nela, é a sua sinceridade, eu odiaria sentir que estou sendo enganado, e a verdade apesar de doer, é o que eu prefiro. Desde então eu tenho me empenhado e dado o melhor de mim, para "ser o melhor" de cama. Eu nunca tive esse orgulho macho (como prefiro chamar) de querer ser o mais fodao em tudo e bla bla bla, mas isso tem me atormentado, e tem me impedido de ser feliz.
No começo ela acreditava que eu poderia ser o melhor na penetração e bla bla bla, mas agora ela pede pra eu não criar esperanças ahebhahehe que do jeito que estou (estou dando o maximo que consigo e fazendo treinos constrangedores de desempenho sexual no meu quarto) posso levar quase 1 ano pra conseguir ser o melhor do melhor. E isso tem me atormentado tanto que estou ficanso triste de vdd, me sinto insuficiente, quando estamos juntos e vejo ela gritar e gemer de prazer na cama, penso logo : - Se ela se contorce desse jeito comigo, imagina com o cara que já comeu ela melhor. Aaaaaaaaahh é horrível, me desculpem pela forma de falar "comeu" mas não consegui pensar em algo menos machista. Imagina você namorar uma garota que diz "meu namorado não foi o cara que me comei mais gostoso, desculpa, estou sendo sincera".
Ela diz que não liga pra isso, que o que sente comigo nunca sentiu com ngm, que nosso amor é pfto, que eu trato ela como uma Deusa e isso motivz muito ela todos os dias, ela chora só de pensar em me perder, e de vdd combinamos em tudo. Gostos, musicas, animes, séries, jogos, ela é perfeita, e eu sou o cara que nem consigo dar um prazer suficiente na cama, me sinto ridículo por isso, mas penso que quando começamos a tranzar, ela tem uma expectativa de ser bom e maravilhoso, e acaba não sendo, ela acaba esperando que seja bom como os outros caras, e acaba não sendo. Ja imaginou ela ter aquele prazer como referência sempre que pensar em sexo ? E não no meu ? Eu não consigo ser eu mesmo desde que isso aconteceu, e me sinto tão mal que penso em terminar. Estou mt agressivo com as palavras e muito decepcionado comigo, esse relacionamento está me deixando mal e me fazendo sentir a cada dia insuficiente, e ela não tem culpa, nunca seria capaz de culpa-la por falar a verdade, é a qualidade que mais amo, mas estou perdido. O relacionamento é mt mais que sexo galera, mas sinto que a cada segundo que passa, os caras anteriores estão ganhando de mim, sei la, é como se eu estivesse perdendo (???) Estou paranóico, queria desabafar, penso em ir em um psicólogo ou sexólogo, mas não sei mais o que fazer, de vdd.
Me desculpem se ficou mt grande este desabafo, ou se acaba ferindo alguma diretriz ou algum menor de idade, pfvr excluam se for o caso :(((
Ass : O cara que não foi o melhor da sua namorada
submitted by Ultimecia- to desabafos [link] [comments]


2020.08.11 21:39 themirrorball Eu tenho medo dos meus sentimentos.

Eu sempre fui uma menina muito tímida, de poucos amigos, mas sempre com relações intensas com todos ao meu redor, relações duradouras. Minha vida amorosa não foi diferente: me envolvi com pouquíssimos caras na minha vida, mas todos tiveram um significado especial e fizeram parte da minha vida por um bom período de tempo.
O problema está no fato de que todos meus relacionamentos anteriores acabaram por covardia minha, sempre que eu me via muito envolvida com alguém, me batia um pânico e eu pensava "vc não pode ficar vulnerável dessa maneira, e se ele fizer merda? acabou tua vida" e eu acabava terminando tudo. Fazendo isso, cheguei aos 20 anos sem sentir que me apaixonei alguma vez na vida, sem ter tido coragem de oficializar um namoro e sem ter meu coração partido, mas a que preço? eu não aguento mais fugir dos meus sentimentos.
No começo da quarentena, conheci um carinha que abalou minhas estruturas. Fazia tempo que esse sentimento não batia tão forte. Nos aproximamos de maneira muito rápida, ele demonstrou interesse em mim logo de cara, a gente tem muita coisa em comum. Eu pedi pra começarmos com calma pq ainda tava muito recente, então continuamos conversando como amigos, mas meus sentimentos por ele cresceram de forma rápida. Hoje, somos bem próximos. E meu sentimentos tão enormes, a vontade de fugir ressurge. Acho que ele não faz ideia do quanto eu gosto dele (não tenho só medo dos sentimentos, mas também dificuldade de expressá-los). Eu não quero perder alguém de novo por causa da minha covardia :(
submitted by themirrorball to desabafos [link] [comments]


2020.08.06 22:03 ElFalconesy Abri meu relacionamento e não sei o que fazer

Eu e meu marido decidimos abrir e, literalmente, não sei o que fazer com essa abertura.
Um breve histórico: antes desse meu relacionamento atual, tive um namoro longo, de três anos. Nesse relacionamento passado era impossível imaginar abrir, era um relacionamento abusivo de ambas as partes, rolava muito ciúme mútuo e a gente se proibia até de beber na ausência um do outro. Depois que terminei e refleti muito sobre essa possessividade toda, comecei a desejar a experiência de um relacionamento aberto, sem nem ter a certeza se eu seria capaz de lidar com essa forma de desapego.
Masss aí eu conheci meu marido, nos apaixonamos, e ele deixou bem claro que não gostaria de ter um relacionamento aberto. Ele já havia tido um namoro anterior fechado, de um ano. Eu estava apaixonado, ele também, topamos um relacionamento fechado e isso nunca foi um problema. Namoramos por seis meses quase praticamente morando juntos, depois por mais dois anos e meio a distância (eu em SP, ele no RS), continuamos com relacionamento fechado, eu nunca traí nem nunca senti vontade e tenho plena confiança de que ele também não me traiu. Ele se mudou pra SP, namoramos por mais um ano, totalizando 4 anos de namoro, e nos casamos, tudo isso ainda em relacionamento fechado.
Pois bem, pouco mais de um ano de casamento feliz e saudável, a conversa de abrir o relacionamento ressurge das cinzas e para a minha surpresa ele muito tranquilamente fala que abriria, bem como toparia fazer sexo a 3. Tivemos uma longa conversa de umas 3 horas, bastante honesta, e ele basicamente disse tudo que acredito: nenhum ser humano pertence a outro, que ele separa bem prazer sexual e relação afetiva, que ele é muito seguro do amor que sentimos um pelo outro e da nossa vontade de seguir construindo uma vida a dois, e que pra ele seria ok fazermos sexo com outras pessoas. Nessa hora baixamos juntos o Grindr no celular dele, demos uma olhada e foi isso. A única questão que não ficou bem resolvida é que ambos ficamos apreensivos de colocar foto em app de pegação porque o nosso status de relacionamento aberto ainda está no armário. Nenhum de nós ficou muito a vontade de pensar que algum conhecido nosso poderia nos ver no app e interpretar errado. Isso poderia gerar uma situação toda que teríamos que explicar pros nossos amigos e... preguiça.
Passou um mês e eu não fiz nada com esse novo status de relacionamento, tanto pela falta de perspectiva de sair com alguém devido a pandemia quanto por não ter tido vontade, mesmo. Mas aí ontem, por curiosidade, baixei o Grindr, deixei um perfil vazio e comecei a dar uma olhada. E percebi que não sei o que fazer com o app. Não queria colocar foto pelo que já expliquei acima, mas quem vai querer falar com um perfil vazio? Eu sinto que nem sei mais usar esse tipo de aplicativo, usei pela última vez há mais de cinco anos... essa função tap, por exemplo, existe algum código de conduta com relação à ela? Me deram tap, se eu der tap de volta o que significa? Me senti muito velho tentando usar (mas tenho 26 anos).
Acima de tudo, me sinto deslocado no app porque eu acho que meu propósito ali é bem diferente do da maioria, que é solteiro, e busca homens de boa aparência e etc... eu realmente só faria sexo com alguém do aplicativo pra ser uma experiência diferente e gostosa, não quero ficar preocupado com rejeição, não queria ficar encanado com meu corpo, não to desesperado pra transar com qualquer pessoa, também...
Enfim, depois desse textão o que eu queria saber é: alguém aqui já passou por algo semelhante? Será que o que eu procuro não está nesse tipo de app? Como vocês lidaram com essa questão de amigos e parentes do casal descobrirem que o relacionamento abriu? Adoraria ler histórias de abertura de relacionamento pra saber como foi!
Obs: meu casamento não está em crise, nos amamos muito e o sexo é ótimo. Sou muito seguro de que temos um futuro juntos bastante bonito pela frente. Decidimos abrir e contar tudo um pro outro, não queremos aquele tipo de abertura que abre, mas não conta, porque não queremos ter que mentir pra sair com outras pessoas.
submitted by ElFalconesy to arco_iris [link] [comments]


2020.08.03 23:40 brendatenorio tenho o melhor relacionamento amoroso que eu já tive na vida.

Meu namoro com o moço bonitão, começou em 2017, nos conhecemos no famigerado Tinder, pois é.
Antes dele, os meus outros relacionamentos eram uma bosta, eu me relacionava com caras totalmente abusivos e tóxicos, fui traída, feita como uma marionete, brincaram com meus sentimentos e fui usada diversas vezes.
E foi em 2017 por meio de um acaso, a minha vida deu uma mudada daquelas, de primeira eu realmente pensei que ficaria apenas nas famosas "ficadas", e não é que com o tempo o amor foi sendo construído aos poucos e acabou dando certo ? É maravilhoso, respeito e amor de verdade. Até hoje as coisas são tão boas quanto no começo lá em 2017...
Agora eu entendo que algumas experiências ruins lá do meu passado de relacionamentos anteriores me prepararam para este (o meu atual), pois aprendemos a não cometermos mais os mesmos erros e infantilidades de antes.
Claro, nenhum relacionamento é perfeito. há brigas e discussões. mas há bastante amor também.
submitted by brendatenorio to desabafos [link] [comments]


2020.08.01 15:10 odrebas Não aguento mais

Não aguento mais minha vida. Sempre tive uma família pertubada, um pai abusivo e uma mãe ausente (não a culpo, muito disso por conta da profissão), que sempre ficou do lado dele seja por medo ou comodidade. Meu pai traiu e agrediu minha mãe várias vezes.
Minha infância e adolescência foram verdadeiros infernos com tudo isso. Cresci desenvolvendo vários traumas, não conseguia dormir em muitas noites com medo do meu pai agredir minha mãe novamente, coisa que aconteceu praticamente na minha frente e eu não consegui fazer absolutamente nada.
Isso só mudou quando passei em uma faculdade federal e fui estudar longe, me desligando parcialmente desse mundo. As coisas pareciam melhores, meu pai era mais calmo e solicito, minha mãe parecia feliz e satisfeita com o relacionamento e com a vida que levava, mesmo que estivesse trabalhando ainda mais. Eu voltava para casa esporadicamente e tudo era mais calmo, pra mim foi um choque de realidade positivo, nesse momento eu me sentia bem em ver ambos felizes.
Ainda na faculdade, depois de quatro anos, consultei psicólogos, psiquiatras para descobrir o que já sabia: ansiedade e depressão. A primeira psiquiatra ficou um tanto quanto preocupada com meus relatos e me receitou dois medicamentos, nisso eu estava em um relacionamento com uma garota que era maravilhosa para mim, fiquei um tanto quanto receoso de me tratar e ter recaídas e isso afetar minha relação, e foi exatamente o que aconteceu, várias vezes. Minha instabilidade não me garantia ter uma relação saudável com as pessoas, por mais que eu lutasse muito. Eu tinha dias e dias, faltava muitas aulas, comecei a detestar a faculdade e por fim minha relação se dissipou. Foi mais fácil para ela terminar comigo naquela situação e me deixar sozinho com meus próprios problemas. Foi um impacto muito grande na minha vida, meu namoro era a fuga da minha realidade com minha família e uma nova chance de recomeço, onde dei tudo de mim. Não vou me prolongar pois isso seria outra história, mas isso fez com que eu tomasse uma atitude: voltar para casa.
Voltando para casa transferi para outra federal, na cidade onde meus pais moravam e voltei para o começo da minha vida, mas dessa vez como outra pessoa. A faculdade ia muito bem, fiz muitas amizades, me sentia bem naquela cidade. Conheci novas pessoas, novas paixões. Junto com isso tudo também descobri, novamente, mais traições do meu pai. Obviamente contei para minha mãe, ela reagiu muito mal com ele, mas garanti que fosse a gota d'água para ela, ela deveria tomar a atitude de se afastar, para sempre.
Hoje minha mãe vive uma vida pertubada para resolver os problemas da separação. Ameaça a vida do meu pai constantemente, faz chantagem emocional comigo quase todos os dias, ameaça se matar em todas as discussões comigo ou com meu irmão. Não durmo direito, meu desempenho no trabalho está pífio, minhas amizades cada vez mais distantes. Não bastasse o caos sanitário que vivemos, constantemente cogito suicídio, coisa que já havia cogitado em períodos anteriores. É muita pressão e maldade de todos os lados por uma situação que sou constantemente culpado. Eu só queria um pouco de paz.
submitted by odrebas to desabafos [link] [comments]


2020.07.31 01:33 Felicity4Now O mundo dá voltas, meu amigo

Oi queridos, tudo bom com vcs? Essa é minha primeira vez no reddit, mas fiz o login mais pra desabafar essa história que está pesando demais pra mim. Postei essa história em outra pagina, mas vou postar nessa tbm. Quem não gosta de histórias deprimentes e longas, pule esse post.
Tudo começou faz 2 anos, em 2018, qdo eu fui para o oitavo ano e resolvi me mudar de colégio pq eu não me dava bem com os colegas da escola anterior (quer dizer, sempre fui meio excluída em todas as escolas que estudei mas enfim). Para a minha surpresa, o pessoal desse colégio aparentemente tinha me aceitado e fiquei mto feliz, finalmente tinha me sentido incluída na escola, deu até um alívio. Mas bem, a história não eh exatamente sobre isso, é sobre oq eu vivi com um amigo meu, vamos chamá-lo de Clóvis. Nunca tinha tido amigos piá, mas nesse ano foi diferente, me dei melhor com os piá do q com as guria. E para a minha surpresa, Clóvis foi, e sempre será, meu melhor amigo, por mais q ele tenha até me esquecido.
A primeira vez q vi Clóvis, ele já me atraiu, sim gente, comecei a ter um crush nele, mas eu ignorei, achei q era coisa da minha cabeça. Enfim, no início, Clóvis era uma pessoa super legal, extrovertida, gente boa, zuera, e foda kkkk. Mas... dps eu descobri q ele tinha depressao, hj eu entendo q a maior parte das pessoas q riem dms são as mais tristes por dentro... sei pq isso aconteceu cmg tbm, mas vou deixar isso pro fim. Por conta da depressao, tentei ajudar Clóvis de todas as maneiras possiveis, dava conselho, brincava com ele, tentava animar ele, mas ele sempre tentava se matar, sem sucesso graças a Deus. Mas isso fez com q meus sentimentos ficassem confusos, pq eu n queria, tipo, namorar alguem baixo astral, já q eu era tbm. Eu sei exatamente oq vcs estão pensando agora, sou uma ignorante msm, eu concordo, n precisam ficar jogando na minha cara pq eu já sei blz?
Enfim, como eu tava mto confusa, acabei me enganando e achei q estava gostando de um amigo dele (vamos chamá-lo de Roberto). Roberto era um cara foda tbm, gente finíssima, alegre e tals, até q ele me pediu em namoro no mês de Maio, mas eu recusei. Dps, Clóvis me pediu em namoro, e eu recusei tbm, n queria arranjar encrenca entre os 2. Mas, no final do mês de Agosto do msm ano, começou a merda. Eu n me lembro mto bem o motivo, porem briguei feio com Clóvis e comecei a namorar o Roberto. SIM, oq eu n queria aconteceu, treta total meus amigos. Vcs devem estar pensando: “mds q BURRA”, pse, eu tbm penso isso de mim tá? Mas n dá pra eu voltar no tempo.
Assim, o namoro q eu tive com o Roberto foi meio q uma amizade colorida (pra vcs terem uma ideia, se beijamos apenas 2 vezes em 8 meses ksks). Na fase auge do namoro, entre Agosto e Outubro, Clóvis continuava brigado cmg, até pq dava pra ver q ele tava super puto cmg por n ter sido aceito, se sentiu trocado e humilhado (tá gente, eu tava confusa, n taquem pedra em mim pq eu já taquei um monte já, pfv). Mas dai no final de Outubro a gente conseguiu fazer as pazes e continuamos bons amigos, junto cmg namorando o Roberto.
Outro ano se passou e todos continuamos estudando na msm escola, ou seja, continuou essa msm confusao, msm com tudo resolvido. Até que, no final de março de 2019, terminei com Roberto, pq ele tinha sido mto imaturo cmg e eu n permiti mais isso, e percebi q n fazia sentido eu ter namorado ele, até pq eu descobri mta coisa ruim dele tbm, mas n vamos entrar em detalhes (caso queiram saber, eu continuo amiga de Roberto hj em dia, pq odeio guardar mágoas das pessoas, ou eh pq sou mto trouxa, enfim).
E dps disso, Clóvis ataca novamente. Ele começou a me paquerar, quer dizer, ele nunca parou, mas foi mais forte dessa vez, e a gente foi contruindo uma relacao ao longo do ano, uma relacao mto, mas mto forte. Continuávamos bons amigos, mas a gente era REALMENTE melhores amigos mais aquele lance de paquera, até pq descobri q nunca tinha parado de gostar dele. (ss, Roberto aparentemente levou um chifre discreto, mas n vamos entrar em detalhes).
Continuando, eu infelizmente tive q mudar de colegio, por conta dos professores, q por mais q eu tirasse nota 10 nas provas eles me humilhavam junto com todo mundo, e por conta das minhas amigas, q andavam me excluindo do grupo delas. Mas minha amizade com o Clóvis foi longe dms, eu acabei dando mto em cima dele sem nem perceber direito e ele se iludiu cmg. No final do mês de Novembro, ele me pediu em namoro.... e advinha oq eu falei? NÃO Serio gente, eu disse não. Ai ai, nem eu creio, mas vamos continuar. Eu disse não por vários motivos, entre eles: 1- Não podia namorar, principalmente pq meus pais n deixam e meio q peguei trauma da historia com o Roberto (chorava todo dia pq odeio mentir, me fez mto mal); 2- Tinha medo q ele se revelasse pra mim e me magoasse, até pq ele eh super negativo e enfim; 3- medo de aceitacao da familia dele; 4- paranóias; 5- medo de começar o namoro e dps ele me largasse; 6- trauma do Roberto; 7- Ficar com depressao por conta do namoro, até pq eu fico mal vendo ele mal; 8- me arrepender.
Tá, podem parecer motivos absurdamente imaturos, mas se coloque no meu lugar, eu sou imatura gente, dclp.
Logo, Clóvis ficou de mal cmg por uma semana, n soube como aceitar aquilo. Mas dai, ele aplicou o golpe baixo dps, o mar diminuiu e dps veio o tsunami, se eh q vcs me entendem.
Ele resolveu q queria ser meu amigo dnv dps de uma semana brigado cmg. Eu achei estranho, mas aceitei ele de braços abertos, ate pq odeio guardar rancor, como disse anteriormente. Mas... ele nunca mais foi o msm, ele ficou mto estranho cmg a partir dai. Ele começou a me sacanear, a zoar dms cmg, mas achei q era coisa da minha cabeça e entao deixei neh.
Até q, no inicio de Março de 2020, era meu aniversario, e Clóvis sabe q eu amo comemorar nesse dia pq adoro festas. Entao, ele simplesmente me bloqueou. Eu n entendendo nada, fui falar com o irmao dele perguntando se tinha acontecido alguma coisa com o Clóvis, e ele me falou q Clóvis estava bravo cmg por conta do q eu fiz. Como já tinha se passado meses, eu achei q ele tinha já superado tudo isso, mas n.
Bem gente, foi ai q veio o tiro. Dps de horas sem me responder, ele me vem me desejando feliz aniversario, me chamando de corna tbm (ele tinha esse costume de me chamar assim por conta do Roberto). Mas eu n curtia mto isso, na maioria das vezes ignorava. Eu fiquei tao triste com aquilo, pq poxa, eu achei q tinha acontecido alguma coisa seria com ele ou q ele tava com raiva de mim, entao, bloqueei ele e fiquei sem falar com ele ate o final do mês. Mas já n aguentava mais, eu amava aquele cara (por mais q eu tenha feito mta coisa ruim). Perguntei pro irmao dele se estava tudo bem com Clóvis, e ele disse q ss.
Logo, me vem uma amiga dele me mandando direct pelo Insta e me falando q ele queria falar cmg. Pensei bem, e como n gosto de guardar rancor, desbloqueei ele. Se eu pudesse voltar no tempo, n teria feito isso de jeito nenhum gente, pq oq aconteceu dps parte meu coracao ate hj.
Conversei com ele e ele falou tudo oq eu queria ouvir, q sentia mto e q ele havia agido com mta imaturidade, disse q eu tava confusa com meus sentimentos e q ele devia ter me entendido antes. Ai gente, eu tinha ficado tao, mas tao orgulhosa dele! Qdo ele falou tudo aquilo, eu senti um alivio, até pq eu n precisava mais sentir aquela pontada de culpa q eu sentia todo dia. Q nada gente, o pior foi dps...
Uma semana se passou, e ele me bloqueou, sem deixar rastros. Fui perguntar pra amiga dele pq q ele tinha feito aquilo, e ela jogou um balde de agua fria em mim. Disse q eu n entendia nada e q eu tinha colaborado pra depressao dele, q eu só fiz mal pra ele e q eu devia me sentir arrependida diante disso. Eu como qualquer ser humano, tentei me defender na hora, tentando achar razao em mim, mas dps de uns meses percebi q realmente, eu sou uma monstra.
Pedi pra ele me desbloquear pra gente conversar, e foi uma burrice. Ele falou q eu tinha arruinado grande parte da vida dele e q eu q joguei ele no inferno q a vida dele eh, e mto mais coisas ruins q vcs n precisam saber.
Eu me senti acabada, principalmente pq a gente tava tao bem e eu achei q a gente ia conseguir seguir em frente sabe? Eu tinha esperança daquela amizade maravilhosa continuar com tudo. Achei q a gente ia festejar mais festas juninas, zoar, sair pros rolê, se divertir, cheirar pó de giz (KKKKK), entre outras coisas aleatorias. Sabe, eu amava mto ele, mas dps disso tudo oq eu fiz, era de se esperar q ele ia me dar esse tiro.
No inicio, eu tentei me esquecer dele, xingar ele, pensar coisas ruins sobre ele, tentar botar a culpa nele. Achei q em umas semaninhas ele ia voltar pra mim, mas n, ele sumiu...
Ate q, com esse sumiço, comecei a me dar conta do q q eu realmente fiz. Como pude ser tao cruel? Só pensar nos meus sentimentos e n nos dos outros? Como q eu consegui agir achando q era certo qdo na vdd era errado? Gente, eu comecei a me sentir, tao, mas TAO culpada, q a culpa até dói.
Eu sei q vcs devem ta pensando: “Ta, fez e recebeu, eh lei do retorno, lei da acao e reacao”. Mas gente, eu tava tentando ser feliz uma vez na vida, tava tentando ser aceita, e isso nunca tinha acontecido cmg e me confundi dms. Achei q tava fazendo o melhor qdo na vdd eu n deveria ter namorado ninguem isso sim. Mas eu n posso voltar no tempo...
Enfim, abril e maio se passaram, e eu comecei a manifestar sintomas de depressao, por conta das coisas da escola, por conta da cobrança, e principalmente, por conta dessa situacao, pq comecei a sentir mta culpa msm. Fiquei doente do estômago por conta de tudo isso e ainda to meio mal, n consigo comer como antes tbm. Tentei falar com Clóvis umas dezenas de vezes, mas msm assim n tinha papo.
Até q junho começa e me chega uma solicitacao no direct do Insta, era uma menina (vamos chamar ela de Folks), me pedindo dicas pra gravar videos, ate pq eu posto mto video no Insta pra ver se eu me esqueço de tudo isso. Comecei a conversar bastante com ela, principalmente pq ela eh incrivelmente incrivel. Ate q um dia eu tava bem bad e falei sobre todos os meus problemas com ela, e ela me disse... q ela era amiga do Clóvis.
Na vdd sempre desconfiei q ela era amiga dele, por conta de varios motivos, mas n vou ser especifica. Mas n deixou com q eu n ficasse em choque com Folks. Desde entao, ela tem tentado me ajudar a superar isso, conseguiu convencer Clóvis a falar cmg e enfim.
As conversas q eu tive com Clóvis, mais pioraram do q ajudaram, até pq ele dizia q me perdoava, mas q n conseguia nem falar cmg e nem voltar a ser meu amigo. Eu entendo ele pq nem eu to aguentando mais a minha presença. Mas, isso n deixou de doer em mim... E qdo ele me disse q tinha conseguido me esquecer e conseguiu me trocar pela Folks, foi a gota d’água...
Sabe, eu n sabia q eu podia ser trocada como um objeto, achava q era coisa da minha cabeça. Mas ele me trocou, e pela Folks ainda, q eu considerava e considero uma grande amiga...
Ah, o pior n foi isso q ele me falou. O pior foi qdo ele me disse q no inicio da nossa amizade, ele tinha intencoes ruins cmg... não, n eh relacionado a sexo ou coisa do tipo, eh coisa mais sombria. Eu n sei bem falar oq eh pq ele n foi mto especifico, mas isso me doeu tanto, pq eu sempre desejei o bem dele, por mais q eu tenha feito mta besteira com ele...
Entao gente, se eu n tivesse feito tudo isso, será q ele teria feito alguma coisa cmg? Eu sou a culpada ou ele? Nós 2 somos culpados? Eu devo me humilhar pro resto da vida? Ele q tem q se humilhar? Oq q eu devo fazer agora? Essas são duvidas q eu tenho, quem puder esclarecer ou tentar compreender a minha situacao, pfv me ajude. Oq vc faria no meu lugar? Se vc faria a msm coisa q eu, oq faria pra consertar?
Bom, eh essa a minha historia, q ninguem sabe o final... Dclp se foi uma historia mto deprê, mas eh q eu tinha q desabafar em algum lugar, serio msm.
submitted by Felicity4Now to desabafos [link] [comments]


2020.07.29 20:42 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

(Postei primeiro no desabafos, mas resolvi postar aqui também)
O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.
Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.
A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.
A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha
Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to sexualidade [link] [comments]


2020.07.29 20:24 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.

Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.

A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.

A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha

Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to desabafos [link] [comments]


2020.07.23 03:55 rain21-07 21/07/2020 O maior erro que já cometi.

Olá,eu não entendo como o Reddit funciona direito e nem sei se um dia esse texto vai chegar a Thaynnara Ramalho,ela gosta muito de ver coisas no reddit,então as chances são de 30% pra 70%,mas enfim.
Eu sou só mais uma pessoa que vai contar como eu terminei o meu namoro,e como estou me sentindo sabendo que perdi alguém que me ama (amou) e que se doou 100% no relacionamento. Serei um pouco demorado,então tenham um pouco de paciência,é algo muito pessoal e muito doloroso,já que foi recente,tipo ontem...

Então antes dos afins,quero deixar bem claro que a minha decisão foi só minha,que eu tomei ela por conta própria e que a culpa do termino não foi por erros que cometemos ou algum erro que cometi e decidi me separar,eu só não queria que fosse tão doido,tanto pra mim quanto pra ela,mas infelizmente não existe termino saudável,doí e doí muito,você se pergunta se fez a escolha certa,e pensa e repensa em voltar rastejando,exatamente como eu estou me sentindo agora. deixando isso explicado e resolvido,vou me declarar e me expor,mostrando que eu tenho consciência que atitudes minhas foram toxicas,tanto pra mim quanto pra ela.

Eu conheci a Thaynnara pouco tempo depois da minha ex (não vou citar nome,então vamos chamá-la de "ST") terminar comigo pela 3° vez e ultima vez(teve uma recaída uma semana antes de eu pedir a Thaynnara em namoro) eu errei muito,pequei muito nesse relacionamento com a "ST",inclusive o que fez o nosso relacionamento ir por água a baixo foi eu ter gasto um dinheiro do cartão da tia dela e não ter contado(eu gastei 20 reais e paguei 60 reais,porquê ela passou a perna tbm) mas continuando... foram muitas intrigas,brigas e até agressões físicas por parte dela,isso me destruiu,eu fiquei chorando a semana toda depois que terminamos,eu aprendi muitas coisas com ela,porém disso tudo eu acabei levando magoas,amarguras e desconfiança,sem contar que eu já não me abria sentimentalmente,então me fechei totalmente pro mundo.
Então quando eu conheci a Thaynnara eu não tinha a intenção de ficar com ela,muito menos entrar em outro relacionamento,nesse dia já dito acima,os meus amigos e Paulo Silva(que nem gente é!) incentivaram-me a ficar com as meninas que estavam ali,eu fiquei com três meninas,e uma delas era a Thaynnara. Logo após o acontecido eu mantive contato com ela e com a amiga dela(vamos chamar de "BETA"porém "Beta" na época não tinha se assumido homossexual,e como eu tinha mais apreço pela thaynnara mantive mas contato com ela e marcamos de ir pra outra festa,demorou algumas festas,vários drinques e um video ridículo meu,que eu fiz pra dar de presente,até que um dia rolou,(bem.... quase rolou,eu fiquei nervoso e não subiu)mas sei lá,ela entendeu e a gente ficou pelado um na frente do outro fofocando,rindo e falando mal dos outros,ali... naquele dia,se estabeleceu uma conexão,eu sabia que gostava dela,mas não queria estar em um relacionamento,contudo no geral já estava se encaminhando pra isso,eu levei ela pra minha casa,apresentei ela a minha mãe,e quando ela dormia aqui,a gente ficava deitados apertadinho na minha cama de solteiro,e eu olhava pra ela e sabia que tudo aquilo se encaminhava pra algo maior.(obs: isso me faz sentir muita falta dela,eu estou em lagrimas e parece que o vazio tomou tudo)

E finalmente eu decidi pedir ela em namoro,eu me via sozinho e incompleto quando eu estava sem ela,mas ainda com pé atrás de me meter em uma furada e pensando também nela,já que eu não queria ferir os sentimentos dela,então a "ST" me liga,uma semana antes da minha decisão com a Thaynnara,me chamando pra ir na casa dela "conversar" transamos e ela queria voltar,porém eu só fui porque já sabia que íamos acabar transando e ela também,saí da casa dela chutado,e nunca mais ela entrou em contato.passando a semana eu já tinha me decidido,não era carência,não era necessidade de preencher algo que perdi ou algo superficial, era AMOR,eu realmente amei ela,e esse foi o meu único acerto nesse relacionamento com a Thaynnara.
Eu não vou estender essa estória do meu racionamento parte por parte,fase por fase,então nos parágrafos há baixo vai ser um resumão dessa semana do dia 20/07/2020 á 22/07/2020.

(é vamos pro final de tudo.)
Não teve briga,não teve mentiras,não teve absolutamente nada que me fizesse terminar o meu namoro,nenhum dos problemas anteriores meus e dela fizeram eu tomar essa decisão,eu menti pra ela algumas dezenas de vezes,é isso não é culpa dela,foi falta de caráter meu,(não pontuarei pontos dela,pois ela não está aqui pra se defender) no dia 19/07/2020 foi um dia comum,assistimos filmes,rirmos,comemos bolo de caneca,rirmos mais e assistimos mais filmes,no dia seguinte eu voltei pra casa e abri a lanchonete,até normal,entrei em contato com,a gente conversou, e tava tudo ok,(eu sei que cometi o maior erro da minha vida em questão de relacionamento mais ok,não irei superar.) no dia 21 já à noite,eu mandei mensagem no wpp pra ela falando que queria terminar,fui no menssenge dela e mandei a mesma coisa,logo em seguida ela me ligou,e tudo aconteceu,ela achou que eu estava brincando,que era uma pegadinha,mas não era real,eu fui um babaca quanto a isso,na verdade eu fui um completo babaca quanto a tudo,eu simplesmente disse que queria terminar e que não tinha qualquer motivo além do meu querer, e isso fez com que hoje,exatamente agora ,eu me arrependesse de ter feito isso,porém eu não vou voltar atrás e pedir perdão,não porquê eu sou cabeça dura,mas porque ela vai ficar bem melhor sem mim,e se eu fazer isso só vai balar mais o psicológico dela,o emocional dela e deixá-la mais confusa do que já esta.

EU COMETI O MAIR ERRO DA MINHA VIDA,DEIXEI IR EMBORA A PESSOA QUE ME APOIAVA,INCENTIVAVA,QUE ME AMAVA 100% E QUE FARIA TUDO PRA ME FAZER FELIZ,PERDÃO THAYNNARA,EU FALHEI COM VOCÊ,EU GASTEI O SEU TEMPO E OS SEUS ESFORÇOS E ISSO ME DESTRÓI PORQUE TE AGRIDE DIRETAMENTE. ME PERDOE POR ISSO,EU SOU UM LIXO E VOCÊ MERECE MAIS!
submitted by rain21-07 to desabafos [link] [comments]


2020.07.13 05:23 joo4nie Não consigo esquecer esse garoto.

Eu sempre fui uma pessoa que acaba se apegando demais nas pessoas e nesse momento isso ta me prejudicando muito.
No ano de 2019 eu entrei no ensino médio, escola nova, em um lugar novo, onde eu não conhecia absolutamente ninguém, foi meio assustador no começo, mas com o passar do tempo fui fazendo alguns amigos. Eu nunca fui uma garota de me envolver com muita gente, apesar de ser muito engraçada e conseguir me sociar bem com as pessoas, quando a questão é namoro eu sou péssima. O ano tava rolando e na escola eu não tive interesse em ninguém pq naquele momento isso não parecia importante, até que um dia quando eu estava entrando no metrô pra ir pra casa com a minha amg, me deparei com um garoto que me chamou a atenção, percebi que ele tava com o uniforme da minha escola e sem nem perceber quem ele era eu já tinha gostado dele. No outro dia fiquei procurando esse garoto pela escola toda, só que eu não conseguia me lembrar do rosto dele, pq no dia anterior ele estava de capuz, após dias e dias, eu e minha amg vimos alguém que parecia muito com ele e fomos tentar pegar o número. Óbvio que não pedimos pessoalmente, mas a gente "conhecia " um dos amigos dele, que na bio do insta tinha o número. Assim chamamos o amg dele. Foi muito engraçado pq a gente não queria falar quem éramos, ou mostrar foto nossa, só que no fim tivemos que mostrar e eu consegui o número dele. Eu demorei pra chamar pq estava com vergonha, mas no fim chamei, bem no dia do aniversário dele(mds nunca vou esquecer esse dia) papo vai papo vem, eu achei ele legal pra caramba, ele gostava das mesmas coisas e animes do que eu e talz, e depois de vários dias de ligação, na hora do intervalo ele e o amg dele vieram falar cmg e com a minha amg, foi tão constrangedor mas tão engraçado kskskkslsls, a gente riu e tals e eu percebi que já tinha um sentimento por ele. Ele pedia pra ficar cmg( indiretamente), mas como eu só tinha ficado com meninas na minha vida tava muito insegura então sempre dava uma desculpa. E assim foi, metade de 2019 a gente conversava, as vezes ia embora juntos, mas nada de ficar, kskksls parecia até um webnamoro, pq a gente se falava mais por mensagens do que pessoalmente. Até que percebi que ele começou a ficar estranho, e ele sempre perguntava se eu queria ter algo com ele só que as minhas inseguranças sempre falavam mais alto e eu sempre respondia " não tenho certeza "ou algo do tipo, só mentiras, que eu me arrependo tanto. Depois de dias dele não me responder até semanas eu decidi falar a verdade(Se declarar e tals), lembro que era uma sexta feira ( estudava de tarde) depois da escola, tava chovendo ainda eu fiquei esperando ele na estação, mas não conseguir achar ele, quando cheguei em casa mandei mensagens mas talvez seja impressão minha, pareceu que ele respondeu meio grosso. Ta final de semana passou e na segunda eu encontrei ele pela escola, mas nada, até que no final do dia minhas amgs foram pra fila pra pegar a janta e eu fiquei ali com elas, vi de canto de olho que ele e algumas pessoas estavam atrás de mim na fila. Até que eu escutei um garoto falando "Nossa vcs são tão lindos juntos. " e eu consegui ver que ele tava de mãos dadas com outra garota. Ele tava namorando. Me segurei na hora, mas depois chorei, chorei muito e estava me sentindo culpada, pq nesse tempo todo eu dei a impressão que eu estava iludindo ele, eu fui tão babaca com ele, que odio de mim.
 Tempo passou e eu fingi que tava tudo bem, fingi que superei, mas isso é uma mentira. No meio de 2020 eu troquei de número e mandei mensagem pra ele pra add o novo número, mas ele me deu block. E agora ??? Agora eu não consigo esquecer ele, vejo que a culpa é totalmente minha, e só fico querendo mudar o passado. As vezes quero tanto mandar uma mensagem, mas aí lembro q ele bloqueio kskskskks, não sei se isso é bom o ruim. Mas é isso skskks, só queria soltar isso pq eu tava segurando por muito tempo. Obrigada pras 0 pessoas que leram até aqui. E dcp por estar longo 
submitted by joo4nie to desabafos [link] [comments]


2020.06.29 03:46 richardtrle Há uma semana eu disse que passei por conflitos com minha mãe, eu decidi me mudar de casa, esta é a segunda parte do meu desabafo

Pra quem não viu meu post anterior, segue o link abaixo:
https://www.reddit.com/brasil/comments/helm42/minha_m%C3%A3e_disse_pra_mim_n%C3%A3o_assisto_a_globo_eles/
Mas basicamente eu vinha me envolvendo em uma série de conflitos com minha mãe. Que culminou em uma quebra de imagem por minha parte que tinha dela. Eu admirava minha mãe, achava que ela era uma forma de virgem Maria, que tinha me colocado no mundo pra ser seu Messias e pagar pelos seus pecados.
Essa imagem que tinha dela se quebrou, e achei isso tão ruim, por que eu tive essa mesma sensação com meu pai em 2003, ano em que meus pais se separaram devido a uma traição ridícula que foi perpetrada por meu pai. Eu achava que meu pai era meu super herói, mas descobri que havia um histórico de traições e que inclusive minha mãe havia contraído infecções sexualmente transmissíveis por conta disso, marca que carrega consigo até os dias de hoje.
Tínhamos uma ótima relação, ela era minha confidente, me apoiou (mesmo que com ressalvas) quando me assumi bissexual, disse que respeitava. Inclusive lutava contra a família por conta de dizeres preconceituosos e piadinhas em torno do assunto "meu nome". Era minha parceira de filmes e séries, fazíamos pipoca, avaliávamos o filme e depois íamos dormir. Era até terapêutico para ela, ela sofre de insônia e apneia do sono, então assistir algo era quase que sonífero para ela. Porém, por conta de politicagem, cegueira e teimosia de encarar os fatos, a verdade, tudo isso se desfez.
Inenarravelmente estamos em uma pandemia que atingiu nossa era. Centenas, posso até dizer que milhares de famílias estão sendo desfeitas, vidas estão sendo ceifadas em proporções jamais vistas na era moderna. O nosso país está no protagonismo mundial, e de uma péssima maneira. Isso mostra que o povo brasileiro está completamente desunido e até mesmo destruído por conta de crenças. Crendice barata de esquerda vs direita, de desafiar a luz que a ciência provê, de uma "eterna" luta contra o comunismo e de endeusamento de políticos. Enquanto os políticos apenas enriquecem a troco dos impostos, pagos por nós cidadãos. Deveríamos cobrar deles, eles são nossos funcionários, mas brasileiro é um povo atrasado em vários aspectos, políticos é apenas um deles.
Enfim, eu fiquei essa semana passada inteira sentindo um enorme vazio, foi uma ruptura do meu ser. Eu não sabia quem eu era, eu não sabia o que estava sentido, eu sequer consegui olhar pra ela, minha mãe, com os mesmo olhos. Eu amo minha mãe, eu continuarei amando, mas aquela mulher que habitava o mesmo lar que eu foi corroída por esse revisionismo histórico, essa onda de notícias falsas e correntes de whatsapp, não é a mesma mulher que me criou.
Porventura um amigo meu me disse no Domingo, dia 21 que estava pagando aluguel e que seu senhorio não estava fazendo qualquer abono no valor, inclusive por 4 meses. Ele falou que pensava em devolver o imóvel, mas ao mesmo tempo não tinha como, pois todas as suas roupas, móveis e utensílios domésticos estavam neste imóvel. Ele foi pra sua cidade natal, e lá ficou preso por conta da pandemia.
Foi tempo o suficiente pra eu maturar a ideia de que ele poderia me sublocar o imóvel, eu arcaria com parte das despesas, assim ficava bom pra ele e pra mim. Ele topou na hora, o grande problema foi que não avisei pra ninguém, nem com quem eu namoro. O segundo choque também foi, eu fiz tudo de um dia pra o outro. Foi uma espécie de mudança relâmpago, acionei um tio meu que estava quarentenado, falei a situação, ele topou. Trouxe poucas coisas, meu rig, uma cadeira, travesseiro e poucas peças de roupa. Afinal ficarei boa parte do tempo também em quarentena.
Resultado, me mudei de cidade. Foi um risco que passei, foi, mas eu julgo que valeu a pena. Não só pelo fator mãe, minha cidade está um escárnio. Sexta-feira o centro da cidade estava lotado, nem parecia que existia preocupação de que mais de 55 mil pessoas haviam morrido. Parece que as pessoas estavam nem ai que no período de apenas uma semana quase 300 mil novos casos foram registrados. Tinha muita gente na rua, gente inclusive sem máscara. Então eu juntei isso todo e me mudei.
Sabe o que é engraçado, eu me mudei pra me isolar... ha ha ha
Bem é isso, agradeço a todos que postaram anteriormente e aqui segue o desfecho dessa parte em minha vida. Fica aqui meu relato e meus sentimentos.
submitted by richardtrle to brasil [link] [comments]


2020.06.27 22:26 uvaeuva Anticoncepcional

Não curto muito sexo, uma das coisas que me afligem é a possibilidade de gravidez. No meu relacionamento anterior, a única exigência que eu fazia pra minha namorada era ela utilizar anticoncepcional para que a gente pudesse fazer sexo, pra mim só a camisinha não basta. Minha ex não usava anticoncepcional, então durante a maior parte do namoro a gente não fazia sexo com penetração, o que não foi um problema pra mim, existem outros tipos de sexo mais seguros. Gostaria de saber o que vcs acham desse meu posicionamento de só fazer sexo com todos os cuidados.
Obs 1: em nenhum momento eu briguei ou obriguei ela a usar o remédio.
Obs 2: chegou uma época em que eu influencie ela a parar usar o anticoncepcional pq eu tinha medo dela ter trombose, nessa época a gente não fazia sexo com penetração, mas fazíamos outras coisas.
submitted by uvaeuva to sexualidade [link] [comments]


2020.06.10 05:39 allydunno Completamente perdida no vazio.

Aviso: desabafo muito grande e desorganizado cronologicamente e até ortograficamente. Sei que já exclui esse post várias vezes e coloquei novamente, peço perdão.
Não tenho tanto a reclamar da minha vida apesar de não querer ela, ela nunca foi extremamente ruim, tive os brinquedos que queria e de início uma família reunida. A memória mais vivida que tenho é do bullying. Entrei em uma escola aos 11 anos e foi lá que tudo começou a desandar. Fiz um grupo de amigas inicialmente que no fim eram tudo menos minhas amigas de verdade. A minha "melhor amiga" nesse grupo sempre teve problemas psicológicos (tinha problemas com a aparência dela) e sempre tentei ajudar apesar de ser bem ingênua na época mas, acho que não fiz o suficiente ou talvez não tenha sido uma amiga boa o suficiente. Ela dizia na minha cara que me odiava, me fez sentir mal muitas vezes mas ainda sim eu sentia compaixão e empatia por ela, não por pena mas sim porque eu a considerava minha amiga de verdade. Ela chegou a quase me enforcar um dia na escola, e depois passei a entender que talvez ela me odiasse de verdade. Um dia disse que se ela morresse a culpa seria minha e até hoje eu simplesmente não consigo esquecer isso. Não quero pintar ela como a vilã pois sei que ela estava lidando com conflitos internos mas ainda sim, a forma como fui quebrada e estraçalhada nessa amizade é irreversível. Sofri bullying por outras garotas na escola, minhas outras duas amigas desse grupo me humilharam algumas vezes e foi nessa escola que fui literalmente um objeto para satisfação alheia, não importa o quanto aquelas pessoas me machucassem eu ainda estaria ali por elas firme e forte. Eu passei a me arrastar para ir a essa escola, tomava remédios de ansiedade porque toda vez que eu via aquelas pessoas eu ficava extremamente ansiosa (tive problemas físicos com isso), nunca contei nada a minha mãe e para minha vó porque nunca achei que fosse importante. Inclusive gostei de um garoto (perto do meu último ano nessa escola, passei 4 anos lá) mas hoje em dia me pergunto se gostei dele de verdade ou se senti isso porque todos falavam que a gente dava certo junto, e bem, eu queria agradar todo mundo né?...
Aos 15 anos fui para outra escola começar o ensino médio, de início foi incrível uma das melhores coisas, perdi grande parte da minha timidez e parei de tomar remédios para ansiedade. Comecei a gostar de outro menino e com ele tive meu primeiro namoro e meu primeiro beijo, no começo foi mágico mas depois tudo começou a desandar. Ele queria me forçar a fazer sexo/a ter desejos sexuais, me criticava por não conseguir demonstrar meus sentimentos e afirmava que eu não o amava por causa disso tudo. Me destruiu psicologicamente pois me fez perceber o quão fraca e covarde eu sou. Foi nesse mesmo ano que me machuquei pela primeira vez. Novamente, achei que não era importante então não contei a ninguém.
No mesmo ano comecei a gostar de um garoto, um garoto que me amava de verdade, um garoto que teve uma decepção amorosa anterior e que se tornou meu melhor amigo. Em pouco tempo a gente se aproximou, demais. Beijei ele mas decidi acabar tudo antes de começar porque tive medo, medo de machucar ele assim como eu me machuco, medo de não demonstrar sentimentos e ele se decepcionar, medo de perder tudo. Ele se afastou e parou de falar comigo para sempre, até mudou de escola, me senti a pior pessoa do mundo e me sinto até hoje. Novamente não achei importante, fiquei calada
No ano seguinte, no meu segundo ano do ensino médio, comecei a namorar um garoto que todos falaram que não valia nada mas eu precisava desesperadamente de alguém para me ouvir, me abraçar e ele pelo menos disse que faria isso, mas nunca o fez. Lembro até hoje do dia que tive uma crise na escola (por causa de uma briga familiar) e ele ficou do meu lado olhando o celular o tempo inteiro, me senti uma ridícula por estar chorando e sendo uma namorada ridícula e fraca. Ele também insista na questão do sexo e até chegamos a fazer certas coisas nada muito além mas fiz apenas para agradar, não me sinto bem até hoje com isso. Novamente, fiquei calada.
No final do mesmo ano, tive outro relacionamento, fomos amigos de início mas logo começamos a namorar, de início foi bom -como sempre- mas conforme o tempo foi passando tudo piorou. Ele também insistiu na questão do sexo e bem, foi nesse relacionamento que sofri com estupro e diversos outros toques que me incomodaram. Certos toques eu simplesmente deixei porque ele gostava então achei melhor, melhor para ele mesmo eu não me sentindo nada confortável. No estupro, não tinha muita força para entender e minha mente se tornou um clarão mas impedi ele de ir bem além porque sei que ele iria. Estou com esse menino até hoje porque não consigo terminar, tenho medo, medo de machucar ele parece ridículo mas é verdade, me tornei dependente emocionalmente e mesmo querendo muito terminar não consigo fazer isso, agora irá demorar mais ainda com a quarentena. Enfim, não achei nada disso importante suficiente para falar então fiquei quieta.
Houveram outras coisas no meio desses anos, no meu último ano do fundamental meu pai se separou da minha mãe e nunca mais apareceu, não fala comigo, tentou tirar a casa que eu, minha mãe e meu irmão moramos, passou a viver com a nova família dele, não teve coragem de falar comigo nem para dizer que minha avó paterna havia falecido (isso aconteceu no finalzinho do ano passado).
Meu irmão (quando ainda eramos pequenos provavelmente uns 10 anos e ele uns 15) parou de falar comigo, talvez por raiva, tristeza, não tenho a mínima ideia hoje em dia só trocamos diálogos simples porque moramos na mesma casa, ele e minha mãe brigam várias vezes e parecem dois estranhos entre si ao invés de mãe e filho. Sinto falta dele e das conversas que tínhamos, do abraço dele, das risadas, dos momentos que tivemos mas hoje em dia ele está bem diferente, se tornou muito ganancioso e egoísta. Acho que não tive muita sorte com homens na minha vida sinceramente kkkk
Minha mãe e minha avó são os únicos motivos para eu continuar vivendo aqui, sei que as duas não suportariam viver sem mim então continuo aqui. Minha vó sempre se apoiou em mim e minha mãe também então não seria justo simplesmente fazer elas sofrerem por minha causa.
Me tornei um mar de angústia e desespero, me perdi de mim mesma, olho para o espelho e não sei quem está la mas sei que não tenho orgulho dessa pessoa. Sinto saudades da minha infância quando tudo era diferente, hoje em dia, me tornei destruída, sinto um grande vazio no meu peito. Já senti tristeza por mim, vazio, angústia, até mesmo ódio hoje em dia não sinto nada, sinto um grande vazio num imenso mar de solidão, angústia e silêncio. Não acho meus problemas importantes suficientes por isso nunca falo, acho que outras pessoas sofrem bem mais então não devo ficar falando sobre coisas fúteis como as minhas, falei aqui porque não conheço ninguém, ninguém me conhece e vocês serão como as pessoas que vejo na rua, prestarei atenção mas não nos veremos novamente por isso é mais fácil falar. Sinto essas coisas a muito tempo, desde pequena nunca contei nada para ninguém, talvez tenha sido influência do meu pai porque ele sempre foi uma pessoa fria então talvez me tornei assim também. Me acho um monstro por não conseguir sentir as coisas, faço praticamente tudo porque os outros querem me ver fazer ou gostam, usei diversas vezes roupas para agradar os outros, penteados para agradar os outros, enfim... Me perdi de verdade, não consigo mais organizar meus pensamentos porque tudo está se tornando um borrão. Sou extremamente racional então não irei tentar nada sério, apesar de pensar, me seguro aos meus pensamentos sãos. Talvez futuramente eu procure um psicólogo quando for maior de idade, assim não tenho que dar justificativas para minha mãe não estou preparada para contar tudo isso agora. Aos 17 anos me sinto extremamente perdida, não sei se irei conseguir amar alguém de verdade, não sei quem sou mais tenho apenas leves resquícios meus nesse borrão que eu vejo no espelho, não consigo falar o que sinto, sinto compaixão por todos menos por mim mesma, perdi minha humanidade comigo e não consigo mais encontrar, me sinto um objeto para satisfação alheia. Enfim, essa é só uma parte dos meus pensamentos desorganizados, nunca fui boa para escrever sobre isso mesmo, esse é meu desabafo sobre quase tudo.
Obrigada por ler, se estiver sentindo algo parecido comigo, pare um momento e olhe para o céu: olhar para as estrelas e sentir o vento gelado me ajuda às vezes, espero que te ajude também. ❤️
submitted by allydunno to desabafos [link] [comments]